domingo, 30 de dezembro de 2012

Fechando o ano e o casco

A meta era mais ambiciosa, mas apesar dos pesares o balanço do ano foi bom. Eu queria terminar o ano virando o primeiro casco, mas não deu. Ontem terminamos a ultima tarefa do ano, pois voltar a trabalhar no barco, só em 2013. Praticamente fechamos um dos lados do fundo. A proa esta fechada, faltando apenas mais dua linhas de ripas no restante. Fechar as laterais foi mais simples e rápido, já o fundo exigiu criatividade, habilidade e esforço conjunto. Criatividade eu até que tenho um pouco, mas a habilidade do nosso amigo e grande marceneiro, senhor João, foi fundamental para a construção de peças importantes. O retorno ao projeto do marinheiro, Antonio Flávio, foi um reforço importante para as tarefas do dia-a-dia.
Em 2012 o mundo não acabou, ainda bem, pois se acontecesse como no filme, as águas do mar chegariam até o barco incompleto. Imaginar o Atlântico chegar até as montanhas extremenses e seus mais de mil metros de altitude, só no cinema mesmo. Porém preciso acelerar a construção, vai que apareça outra profecia apocalíptica e desta vez não poderei ser surpreendido...rsss.
Este mês marcou também o terceiro aniversário do início da construção do Paraty Azimute (veja como foi). Este ano não teve churrasco com os amigos para a comemoração, mas não posso esquecer as pessoas que contribuíram para que o projeto fosse em frente. Sou muito grato a Lurdinha, minha querida companheira, a Elisabete Ponzetto, Antonio Flavio, Raissa, Roberto Hipólito, Cidão, Rildo Monteiro, Rogério e Marcos Paulo. Agradecimento especial ao meu querido irmão Antonio Carlos Borriero e ao senhor João.











Veja mais sobre a construção no site: